Pages

sábado, 6 de agosto de 2011

Felipe Neto e PC Siqueira – vídeos de internet




Todo mundo sabe que esse mundo virtual, hoje, é muito amplo e que em poucos minutos tudo, OU QUASE TUDO, se espalha.
Estamos na era virtual. Qualquer pessoa hoje pode pegar uma câmera e começar a falar merda que pelo menos, aqui, na internet, isso roda e faz sucesso. Sucesso é claro, a base de críticas inúteis e banais.
Então surgem esses garotos que fazem vídeos criticando “coisas”. Coisas de todos os tipos: bandas coloridas, crepúsculo, políticos, jogadores da era NEYMAR. E estes são criticados. Vou pegar esses dois mais famosos hoje em dia – Felipe Neto e PC Siqueira – para tentar fazer uma crítica construtiva; não banal, ou talvez, mas dane-se.

Felipe Neto: pelo que parece ele foi um dos primeiros - não tenho certeza – a pegar uma câmera CRIAR UM PROGRAMA NO YOUTUBE CHAMADO ‘NÃO FAZ SENTIDO” e criticar modinhas, até ai, tudo bem! Modinhas são chatas e devem mesmo ser criticadas. Mas afinal de contas, eu me pergunto: pra quê criticar coisas tão banais? Mesmo não sendo tão banais assim, pois moda, de qualquer forma, deve ser sempre criticada. Mas você sente que no fundo criticar coisas banais acaba sendo banal. Felipe é inteligente – na base do que é chamado de inteligência, claro – tem humor ácido, e no fundo, você acaba dando boas gargalhadas do que ele diz. Mas e daí? E daí nada. Simplesmente isso! Começou criticando, fez sucesso, foi chamado para fazer um programa nesses canais adolescentes idiotas, como MTV e não sei mais o que, e foi só isso. Ele tinha tudo pra criar uma crítica construtiva, mas no fundo, ele só queria isso mesmo, um programa para criticar aquilo que não tem importância. Um programa para ele demonstrar o seu humor ácido, conseguir fãs – apesar de sempre criticá-los também – e só. Ele NUNCA, por exemplo, DEBOCHOU DE UM PROGRAMA DA REDE GLOBO, ou de um HUMORISTA, ou de toda aquela família GLOBAL indecente. Portanto, fez sucesso. E no mais, perdi a graça, de verdade. Não me interessa mais vê-lo criticando modinhas. Não me interessa. ("Não faz sentido" - Felipe Neto via Youtube)

E depois que ele apareceu no programa do Jô para falar de Justin Bieber e da sua infância, perdi ainda mais a graça com ele.

PC Siqueira: basicamente com o mesmo estilo do Felipe Neto. Fala de modinhas e outras "coisas" ainda mais inúteis como as "coisas" que ele odeia e enfim, apesar de eu já ter rido também de alguns fatos, também não interessa. E aconteceu com ele o mesmo que aconteceu com o Felipe Neto: ele ganhou sucesso falando o que ele chama de CRITICA, ganhou um programa também na MTV e foi no programa do Jô falar que ele usa Xampu infantil.  (“Mas poxa vida” – PC Siqueira via Youtube)

E ai eu me pergunto mais uma vez: FAZ SENTIDO ISSO TUDO, FELIPE NETO? Mas poxa vida, PC Siqueira! VOCÊS SÃO “MODINHAS” HOJE. É.
Na verdade eu também usei esse espaço para criticar coisas banais, como esses dois, e isso tudo é banal demais.
Mas é isso. “Criticas construtivas” não são nem um pouco construtivas. 

3 comentários:

Aurora disse...

Há que saber o quê e como criticar.
li um dia o seguinte "não me critiques, pois sabes apenas o meu nome, não a minha história".

Coral disse...

sua crítica é válida e críticas construtivas são construtivas, sim. Uma boa crítica vai ter poucos leitores, em comparação com a audiência que esses dois idiotas que você citou devem ter, mas a gente vai fazendo "trabalho de formiguinha", mesmo, despretensiosamente. Crítica construtiva pode fazer o leitor realinhar suas ideias, e, quem sabe, até fazer um fascista rever seus conceitos? Porque o que a grande mídia forma hoje é uma multidão de fascistas...

Luis Eustáquio Soares disse...

su blog tem q ser doravante lido e relido diariamente, porque seu fôlego não se esvai. e na respiração dela, do fôlego de sua escrita, como quem não quer nada, vc vai desconstrindo os estereótipos, pois sabe no fundo e no raso que em todo estereótipo, como dizia roland barthes, habita monstros de fascismos, idiotismos, belicismos, mesmo e principalmente naqueles maisa banais, pois o reino da banalidade é também o reino do mal, o nosso mundo.
beijos
teamo
feliz com sua escrita
de la mancha

Postar um comentário